História da Hermès: como a grife francesa se tornou uma das marcas mais caras do mundo!

História da moda

|

8 de novembro de 2021

|


A Hermès é uma casa de moda francesa rica em história, tradição e luxo. De propriedade familiar há cinco gerações, a marca é um símbolo de classe e sofisticação em todo o mundo.

Desde o início na selaria e finos artigos de couro equestre, hoje a label é mais conhecida por suas bolsas, bem como por uma variedade de outros itens de qualidade incomparável.

Além disso, hoje a maison figura como a segunda marca mais valiosa do mundo, perdendo apenas para a Louis Vuitton.

Suas icônicas bolsas Birkin e Kelly são consideradas verdadeiros itens de investimento.

História da Hermès: como tudo começou

A história da Hermès começa em 1837 quando Thierry Hermès , então com 36 anos, abre a sua pequena loja em Paris como mestre artesão na confecção de arreios. 

 Em 1867, trinta anos após a abertura da loja, a Hermès foi premiada com a medalha de primeira classe na Exposição Universal de 1867. 

A partir daí, o sucesso foi surpreendente e chegou até a monarquia Russa. Assim, tudo começou quando  o czar Nicolau II fez um pedido para que Thierry equipasse seus cavalos. 

Foi neste momento que a Hermès se abriu para uma clientela de prestígio, formada por reis e presidentes de todo o mundo.

Quando Thierry Hermès morreu em 1878, seus descendentes se sucederam na direção da empresa. No início do século 20, Adolphe e Émile Maurice, netos de Thierry, dão um novo impulso ao desenvolvimento de artigos de couro enquanto trabalham nas exportações. Foi nesta época que Hermès tornou-se então uma referência em malas, cintos e luvas. 

Além disso, os dois irmãos inovaram em todas as áreas. Inclusive, eles foram os primeiros a importar o zíper na França e usar esta forma de fecho em suas peças.

Foi em 1918 que a Hermès apresentou o primeiro casaco de couro com um zíper, produzido para o Príncipe de Gales, Edward. Devido ao seu exclusivo acordo de direitos, o zíper se tornou conhecido em toda a França como fermeture Hermès, ou seja, o fecho da Hermès.

De equipamentos para cavalos a lenços de seda 

Em 1937, eles criaram o primeiro lenço Hermès : um lenço de seda de 90×90 cm, nomeado carré graças a seu formato quadrado. Mais tarde, o carré da marca seria adotado por celebridades como Jackie Kennedy, Grace Kelly e até pela rainha Elizabeth II .

Em 1978, Jean-Louis Dumas, neto de Émile Hermès, assumiu a direção da casa, que dirigiu até 2006. Continuou a se desenvolver na França e internacionalmente, conquistando um know-how da casa para outros setores, como o ready-to – wear, relojoaria ou joias.

Fiel ao seu modelo artesanal e espírito empreendedor, a Hermès evoluiu preservando a dimensão artesanal e a confecção de seus objetos de alta qualidade. 

História da Hermès: Bolsas icônicas 

Não tem como falar da história da Hermés e não citar suas icônicas bolsas. Afinal, junto com a Chanel e a Louis Vuitton, a Hermés foi uma das grifes que revolucionou as bolsas femininas no século XX.

Além disso, outra característica marcante da maison está em sua capacidade de combinar tradição e modernidade. Assim, a família Hermès soube adaptar constantemente seus produtos aos novos tempos.

Desse modo, por volta de 1930, Robert Dumas desenhou uma bolsa feminina com uma estética pura, em forma trapezoidal, muito diferente dos modelos que eram encontrados naquela época.

Nascia assim a primeria bolsa da grife, que no primeiro momento se chamava, “Sac a Depeches” .

Contudo, esta bolsa só estourou em 1956 quando uma foto da atriz hollywoodiana, Grace Kelly foi publicada na capa da revista Life.

Na ocasião, a futura princesa de Mônaco usava a ‘Sac a Depeches’ para cobrir sua barriga de grávida.

Subitamente, mulheres de todo o mundo foram às lojas Hermès procurando  “a bolsa da Kelly“. Sendo assim, foi neste momento que a label renomeou a bolsa como “Kelly”. 

História da Hermès: como a grife francesa se tornou uma das marcas mais caras do mundo!

Em 1984, a casa parisiense criou outro modelo de bolsa que também se tornaria icônico: a bolsa Birkin, resultado de um encontro improvisado entre Jean-Louis Dumas e Jane Birkin durante uma viagem de avião.

A atriz contou ao então CEO da label, que não conseguia encontrar uma bolsa adequada à sua vida de jovem mãe. Jean-Louis Dumas concebe imediatamente uma bolsa flexível e espaçosa com um estilo descontraído.

A bolsa apresentava os códigos icônicos da Hermès como aba recortada e cunha polida, duas alças redondas e um fecho giratório.

Desde o seu lançamento, a bolsa Kelly e a Birkin  juntaram-se ao ranking das bolsas it da grife.

História da Hermès: como a grife francesa se tornou uma das marcas mais caras do mundo!

Menos conhecida que as anteriores, mas igualmente emblemática, a bolsa  Constance, com sua aparência minimalista, distingue-se por seu fecho inteligente em forma de H.

  • Leia também: Hermès Birkin: a emblemática bolsa mais cara do mundo!

Hermès hoje

Desde 2014, a diretora artística da maison está confiada à criativa  Nadège Vanhée-Cybulski , que surgiu por  DelvauxMaison Martin MargielaCéline  time  Phoebe Philo  e  The Row .

Desde então, ofereceu um estilo duradouro que se expressa no domínio do design e na sensualidade dos materiais e cortes, continuando assim a contribuir para a reputação da casa francesa.

A casa da família é administrada desde 2013 por Axel Dumas , membro da sexta geração. Seu primo Pierre-Alexis Dumas , filho de Jean-Louis Dumas, é o diretor artístico desde 2005. 

Gostou do artigo?

Então, aproveite e confira também todos os nossos produtos da Hermés e siga a Inffino no Instagram para ficar por dentro de todas as novidades da nossa loja.

Gosta de história da moda? Então leia também:


Compartilhar

INSTAGRAM.

Follow @inffino.oficial
@2021. Inffino by Projetual