Metaverso na moda: o que é e como a tecnologia pode revolucionar o setor!

Novidades

|

26 de abril de 2022

|

Você já ouviu falar no metaverso na moda? Após a metaverse fashion week e várias grifes de luxo lançarem coleções com o uso da tecnologia, provavelmente, o setor será um dos que mais sofrerá transformações.

Afinal, o metaverso mostrou-se altamente lucrativo, em especial para as marcas de luxo. Além disso, investir na tecnologia também é uma forma de sair na frente, garantir o futuro e, por fim, conquistar a geração Z.

Saiba então, o que é o metaverso e como ela poderá afetar a forma que consumimos e pensamos a moda. 

O que é o metaverso

O metaverso, uma tecnologia imersiva, ganhou força desde que o Facebook se transformou no Meta e gigantes globais do setor, como Microsoft e Apple, também começaram a fazer avanços nessa direção. Meta aspira criar e moldar um novo mundo virtual para o futuro.

Especialistas explicam como será a próxima evolução da conexão social oferecendo um universo de realidade virtual 3D. Neste universo, os usuários de todo o mundo estão presentes ao mesmo tempo. Em outras palavras, o metaverso permitirá que os usuários experimentem suas experiências 2D, como fazer compras através de smartphones ou computadores, assistir a shows ou filmes, em um ambiente onde eles estão ‘realmente’ com seus próprios avatares (réplica 3D de si mesmo) em um mundo 3D completamente virtual, e pode fazer isso simultaneamente com diferentes usuários de todo o mundo.

O metaverso na moda 

Metaverso na moda: o que é e como a tecnologia afeta o setor
Fonte: Harper’s  baazar

Nos últimos anos, a indústria da moda sofreu bastante com o fechamento de lojas e o home office. Isso levou os principais players do setor a mudar para canais online para assim, sustentar seus negócios.

Essa mudança do mundo físico para o digital foi o que os ajudou a sobreviver em tempos difíceis. Como resultado, hoje, essas empresas estão investindo em várias tecnologias emergentes com maior dependência da digitalização. Eles perceberam que o papel da tecnologia só crescerá no futuro, então adquirir tecnologias futuristas tornou-se uma de suas principais prioridades. 

O desenvolvimento não é guiado apenas pela necessidade, mas também por uma lógica forte. Morgan Stanley, um banco de investimento multinacional americano e empresa de serviços financeiros, prevê que o metaverso pode apresentar mais de US$ 50 bilhões em oportunidades para a indústria da moda de luxo na próxima década. Isso incluiria um mercado de US$ 22,6 bilhões para NFTs de luxo também. 

Portanto, impulsionadas por ‘necessidades futuras’, muitas marcas de moda iniciaram sua jornada para fazer parte do metaverso.

Atualmente, a transformação digital da indústria da moda e a adaptação do setor na era digital estão permitindo que as marcas usem NFTs e tecnologia blockchain para atrair, verificar e se conectar com consumidores de todo o mundo. Há casos de uso que sugerem mais possibilidades, como a French Fashion Week e a Haute Couture Federation em parceria com a plataforma ‘Arianee’ para criar NFTs que poderiam ser trocados na semana de moda masculina de outono/verão de 2022 em Paris e outras exposições de alta moda. 

O metaverso na moda de luxo

Novas adaptações começaram do topo da pirâmide com a moda de luxo explorando a revolução tecnológica, criando roupas digitais exclusivamente para as identidades virtuais das pessoas. É o caso, por exemplo, da coleção ‘Genesis’ da marca de luxo italiana D&G, que incluía NFTs para serem comprados e trocados digitalmente. 

A grife arrecadou $ 5,65 milhões quando seu leilão foi concluído no final de setembro de 2021.  A coleção foi hospedada pelo mercado de luxo UNXD, funcionando na plataforma Polygon, que facilita a construção e conexão de blockchains. O lançamento de D&G da UNXD foi o primeiro de uma grande marca de moda de luxo a incluir NFTs. Enquanto outras marcas trabalharam com plataformas de jogos em NFTs, esta foi a primeira que veio diretamente de uma marca de luxo.

Gucci e o metaverso

Outra marca de luxo italiana, a Gucci também experimentou o NFT ao lançar seu primeiro produto relacionado em maio de 2021. No entanto, não era realmente sobre moda, mas um filme de 4 minutos ‘ Aria ‘ co-criado pelo diretor criativo da Gucci Alessandro Michele e pelo diretor Floria Sigismondi para acompanhar um desfile da primeira. Como parte da venda ‘Prova de Soberania’ organizada por Lady PheOnix – uma artista digital, o filme foi vendido por US$ 25.000 pela casa de leilões de arte Christie’s. Todos os rendimentos da venda foram para a UNICEF USA para iniciativas de vacinas COVID-19. No mesmo mês, a Gucci colaborou com o metaverso e a plataforma de jogos Roblox, lançando no Gucci Garden, baseando a experiência digital em uma exposição real em Florença para marcar o 100º aniversário da marca. 

Assim como a exposição física, o Gucci-Roblox Garden ofereceu várias salas temáticas imersivas, homenageando várias campanhas da Gucci. Os jogadores podiam entrar através de um lobby virtual e seus avatares podiam ver, experimentar e comprar itens digitais da Gucci para serem usados ​​no jogo. Em um desenvolvimento recorde, a versão virtual da bolsa Gucci Dionysus foi vendida por US $ 4.115 na plataforma de jogos Roblox usando 350.000 moedas Robux. 

Balenciaga é uma das marcas de luxo que mais investe em tecnologia

Enquanto algumas marcas de luxo estão utilizando NFTs, avatares e aspectos blockchain do metaverso, há outras que estão ocupadas desenvolvendo seu modelo visionário para o setor. Entre eles está a marca de luxo Balenciaga, do grupo de moda Kering. O metaverso influenciou tanto a marca de luxo espanhola que em dezembro de 2021 anunciou a criação de uma unidade de negócios dedicada para explorar as oportunidades de marketing e comércio utilizando a tecnologia.

Isso foi resultado da colaboração da Balenciaga com a Epic Games – a criadora do Fortnite, que comanda 400 milhões de usuários em todo o mundo e mais de US$ 5 bilhões em vendas. A marca de luxo projetou quatro roupas virtuais e vários acessórios para avatares de Fortnite, disponíveis para os jogadores comprarem através do jogo. A mercadoria física de edição limitada da Balenciaga-Fortnite também foi disponibilizada nas lojas e no site da marca.

Futuro da moda digital

 O metaverso, uma tecnologia revolucionária, tem um futuro brilhante cuja jornada no mundo da moda está apenas começando. No entanto, um mundo apenas com moda digital permanecerá uma realização distante até que a tecnologia seja acessível a todos. Até então, espera-se que o metaverso – reunindo todos os conceitos de tecnologia de IA, blockchain, linguagem de máquina, criptomoeda e NFT – continue se expandindo. Ao mesmo tempo em que eleva o mundo digital a um estágio diferente e traz novos processos de produção e consumo, prevê-se que a mudança na percepção da realidade e das necessidades também acelere a transformação da indústria da moda em paralelo.

À medida que os consumidores passam mais tempo online e o hype em torno do metaverso continuará a se espalhar em bens virtuais, os líderes da moda desbloquearão novas maneiras de se envolver com associados mais jovens de alto valor. Para capturar fluxos de valor inexplorados, os jogadores devem explorar o potencial de NFTs, jogos e moda virtual – todos oferecendo novos caminhos para criatividade, construção de comunidades e comércio.

Compartilhar

INSTAGRAM.

Follow @inffino.oficial
@2022. Inffino by Projetual