Stella McCartney e veganismo: Couro de cogumelos é a nova aposta da grife!

Luxo

|

29 de março de 2021

|

A última coleção da grife Stella McCartney tem dado o que falar! Nos últimos anos, o veganismo nas peças da grife tem marcado presença em todas as suas coleções.

Verdadeiramente comprometida com a causa animal e com o meio ambiente, Stella McCartney tem inovado nos materiais tradicionalmente usados para confeccionar suas peças.

Assim, nasceu a coleção Mylo, peças feitas em alternativa ao couro animal e também ao couro sintético.

Desta vez, o material usado foi um tanto inusitado. A grife usou cogumelos para confeccionar as peças de sua nova coleção.

Dessa forma, o couro de cogumelo surge como mais um alternativa vegana e sustentável ao couro animal.

Já em 2017, as bolsas Falabella se destacaram pelo uso do material e em 2018, a clássica bolsa, conhecida por suas correntes brilhantes, foram destaque na exposição Fashioned From Nature, no museu britânico V&A.

Agora, para a coleção Mylo, a grife apostou em roupas ready-to-wear feitas do material, com o intuito de mostrar a versatilidade do material.

“Já tínhamos feito uma bolsa, então, eu queria fazer roupas ready-to-wear, para dar um pouco mais de visibilidade ao material, mostrar sua versatilidade e como ele pode ser usado pela indústria têxtil para realmente substituir o couro”, explicou McCartney à Vogue.

Stella McCartney e veganismo/Modelo com couro de cogumelos
Foto: Stella McCartney

Stella McCartney e veganismo/Modelo com couro de cogumelos
Foto: Stella McCartney


Modelo com couro de cogumelos
Reprodução: Stella McCartney

Stella McCartney e veganismo/ Modelo com couro de cogumelos
Foto: Stella McCartney

Stella McCartney e veganismo nas peças

Foto: Stella McCartney

Não é de hoje que a estilista Stella McCartney se preocupa com questões ambientais em suas peças.

Vegetariana, a inglesa foi criada em uma fazenda na Escócia onde ela e sua família se alimentavam apenas dos vegetais que plantavam.

Inspirada por sua mãe ativista dos direitos animais, Stella não utiliza em suas confecções materiais como penas, couro ou pele animal.

Para ela, animais não devem morrer pela moda. Este pensamento faz com que a grife seja a pioneira e também uma das únicas a usar materiais alternativos em suas peças.

Este pensamento demonstra o quanto a estilista e a grife estão a frente de seu tempo, já que o uso de materiais de origem animal e não sustentáveis estão fadados ao fim.

Afinal, cada vez mais a moda tem se tornado consciente social e ambientalmente e sem dúvida conceitos como ética ambiental e sustentabilidade representam a moda do futuro.

Se firmar na indústria da moda que lucra alto com peças feitas de couro e pele de animais, não foi nada fácil. Inclusive, quando a grife surgiu em 2001, Stella foi alvo de piadas.

Em sua segunda coleção, a grife passou a usar materiais como algodão orgânico, sedas, lãs e poliéster reciclados.

Stella McCartney faz parceria apenas com marcas comprometidas com o meio ambiente

Stella também sempre procurou se aliar a marcas que respeitam os animais e o meio ambiente.

Uma de suas maiores parcerias foi em 2005 com a Adidas, marca que a ensinou muito sobre sustentabilidade.

Foi a Adidas que a alertou sobre o PVC, um dos plásticos mais tóxicos que existem.

Stella McCartney e veganismo
Reprodução: Pinterest

Com a grande marca de esporte, ela desenvolveu o Future Biofrabric Shoe, lançado em 2016. O tênis é feito de uma material super eco-friendly que pode dissolver e voltar para a terra.

Outro fato que mostra que Stella é coerente e fiel a seus ideais é que ela deixou de ganhar milhões de dólares ao se negar a vender a sua linha de beleza Care, que é 100% orgânica, para a China.

Afinal, devido a uma determinação legal do país, todos os produtos cosméticos vendidos na China têm que ser, obrigatoriamente, testados em animais.

Hoje em dia, metade das coleções da grife é feita com materiais sustentáveis, o que, sem dúvida, coloca a grife anos luz à frente de seus concorrentes.

Compartilhar

INSTAGRAM.

Follow @inffino.oficial
@2021. Inffino by Projetual